Cirurgia refrativa

A cirurgia é refrativa é ideal para pacientes portadores de miopia, hipermetropia ou astigmatismo, dependentes de óculos ou de lentes de contato, que desejam obter melhor qualidade de vida.

O LASIK e o PRK são as técnicas principais e mais seguras utilizadas na correção dos problemas de refração. O princípio de ambas consiste na modificação da curvatura da córnea através da ação do Excimer Laser.

Na técnica LASIK, é realizado um corte na córnea, chamado de flap e, após, aplicado o laser com o objetivo de remodelar a córnea. Hoje já se dispõe de um tipo de laser específico, o Laser de Femtosegundo, utilizado exclusivamente para a confecção mais precisa do corte.

Na técnica de PRK, remove-se a camada superficial da córnea, chamada de epitélio, e aplica-se o Excimer Laser em seguida. Nesta técnica, não é realizado corte na córnea.

Após a cirurgia, é colocada uma lente de contato terapêutica com o objetivo de proteger a região tratada. A lente deve permanecer nos olhos o tempo suficiente para que haja total fechamento do epitélio, o que costuma ocorrer em cerca de uma semana, podendo variar de acordo com a resposta cicatricial de cada paciente.

Após a realização dos exames pré-operatórios, o médico cirurgião é quem deve indicar a técnica cirúrgica mais adequada para cada paciente.

São critérios básicos para os candidatos que pretendem se submeter à Cirurgia Refrativa:

■ Saúde ocular normal;

■ Maioridade, exceto em caso de anisometropia importante (com autorização dos pais ou responsáveis);

■ Estabilidade da refração (nenhuma mudança perceptível do grau no último ano);

■ Não estar grávida no momento da cirurgia;

■ Expectativas realistas dos resultados finais (com um completo entendimento dos benefícios, bem como os possíveis riscos).

Existem também algumas condições pré-existentes que podem complicar ou impedir o tratamento:

■ Doenças do colágeno;

■ Doenças Oculares (exemplo: ceratocone, glaucoma, uveíte);

■ Desordens sistémicas (exemplo: diabetes);

■ Pacientes imunocomprometidos.